Bem vindos à minha página
Aqui você encontra um pouco do meu mundo e dos meus trabalhos.
Ononono Valeu!

Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /var/www/html/silviaamelia.com.br/web/wp-includes/post-template.php on line 284

  A rede social onde costumava ser mais atuante é o Facebook. No entanto este ano tenho postado pouco e de tempos em tempos desativo o meu perfil, de modo que ninguém possa me achar nessa rede. Explico aqui porque tenho feito isso. Sou viciada no Facebook e isso me tomava muito tempo. Não consigo moderar a quantidade de tempo gasto. Por mais que eu prometa que não vou permanecer tempo demais postando, lendo, comentando, sempre acabo perdendo a medida. Porque no fundo eu gosto muito daquele espaço, gosto até demais

Passei muito tempo sem Instagram. Fiz um perfil uma vez, mas o meu celular anterior, que era bem velhinho de guerra, não suportou postar uma foto sequer.  Ano passado comprei um novo celular e então fiz um novo perfil. Comecei a postar de brincadeira. Uma amiga minha, a Patrícia, disse que meu Instagram parecia um álbum de aniversário dos anos 80. E ela achava isso bom. Também achei divertida a comparação, olhei o meu perfil e reparei nas fotos desfocadas e aleatórias. Tempos depois, outra amiga, a Carol, disse que eu deveria ‘‘aproveitar o potencial’’ que ela acredita que eu tenho e

  Eu aprendi a ler com 40 anos. Assim o moço pequeno, forte, negro e sorridente, ao meu lado no ônibus, puxou assunto. - E quantos anos você tem? - Eu tenho 42, ele sorria orgulhoso. - Então foi bem recente, hein? E antes disso, você não lia nada? - Na verdade eu comecei a pelejar com isso aos 30, mas não tinha jeito, começava naquelas salas de aula de adulto, logo tinha que viajar para trabalhar e nunca ia pra frente. Até comprei um livro, uma vez, daqueles de criança mesmo, para tentar me alfabetizar sozinho, mas aprendi pouca coisa. - E você trabalha com

Em plena rua da Consolação, em São Paulo, o taxista me pergunta: - Você gosta de flores? - Adoro! - Pois logo mais tem ali uma primavera linda, apontou o lado.   Eu escorreguei pelo banco de trás e me pus na janela di­reita à espera da árvore florida. Ele então trocou de pista pra gente se aproximar da visão. - Olha lá, que linda, ele disse. - Nossa, bonita mesmo, tão cor-de-rosa. Algumas são mais arroxeadas, mas eu prefiro as cor-de-rosa assim